Suplementação de Cromo Biocell

Benefícios da Suplementação de Cromo:

O Cromo é essencial para a manutenção da glicose no sangue, pois  ele ativa a tirosina quinase nos receptores insulínicos, tornando-os mais sensíveis  para a ação da insulina. Desta forma, a suplementação de Cromo é uma estrategia interessante para reverter a resistência dos receptores à insulina. Além de regular a ação da insulina nos receptores, esse mineral está associado à redução dos níveis de LDL-c, colesterol total, triacilgliceróis e ao aumento dos níveis de HDL. Estudos mostraram que o Cromo promoveu uma redução significante do colesterol sérico e aumento de imunoglobulinas. Outro estudo aponta que a deficiência de Cromo aumenta, possivelmente, a adiposidade (acumulo de gordura) devido ao aumento do estresse e das alterações do metabolismo lipídico que depende do mineral.

 

Sintomas da Deficiência de Cromo:

Resistência a insulina

Sonolência pós prandial

Hipertrigliceridemia

Hipercolesterolemia

Obesidade

Vontade de comer doces

Lesões e insuficiência renal

 

Aplicações Clínicas da Suplementação de Cromo (Orientada por médico ou nutricionista):

Gestação

Resistência periférica à insulina

Prevenção e tratamento da intolerância à glicose

Prevenção e tratamento de Diabetes tipo I e II

Obesidade

Hipertrigliceridemia

Hipercolesterolemia

Compulsão por doces (associar o Neurocell)

Auxilia dietas hipocalóricas

Processos arterioscleróticos

Hipertensão arterial e risco cardiovascular

Deficiência e insuficiência renal (especialmente em pacientes insulinodependentes)

Praticantes de atividade física intensa

Hemocromatose

 

Considerando o papel do Cromo na regulação da glicemia, deve-se ter maior cautela com um alimento em especial, o açúcar.  O mesmo exerce um efeito negativo aumentando a excreção de Cromo, sendo que, justamente, esse é o mineral fundamental para a penetração da glicose nas células e para redução da vontade de consumir doces. Consequentemente esse ciclo de consumo de açúcar e excreção de Cromo resulta na resistência periférica à insulina, que pode evoluir para Diabetes tipo 2 e Obesidade.

 

Referência bibliográfica:

Paschoal, V.; Marques, N.; Cant’Anna, V. Nutrição Cínica Funcional: Suplementação.
São Paulo: Valéria Paschoal Editora Ltda, 2015.

Padrazzi, Pierre. l’ Oligotherapie Reactionnelle. Ed. Similia.

Ménétriér, Jean.  A medicina das funções. Ed. Organon.

 

CROMO

ZINCO-CROMO

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *